Gerador de energia solar

Gerador de energia solar

Você sabe o que é um gerador de energia solar? Há diversas particularidades sobre esse dispositivo que você precisa saber se o assunto “energia renovável” te interessa. Neste artigo, a Cogera vai explicar algumas características do gerador solar e para que ele serve.

Saiba o que é um gerador de energia solar

O gerador de energia solar trata-se de um dispositivo que faz a conversão da energia do sol para energia elétrica para ser utilizada em sua residência ou no seu negócio. Esse processo é conhecido como energia fotovoltaica.

As contas de luz têm tido um aumento constante. O aquecimento global, ocasionado pelo consumo excessivo de combustíveis fósseis, também tem piorado bastante. Por isso, o gerador de energia solar tem se tornado uma ótima alternativa para que as pessoas possam produzir sua própria eletricidade através da luz do sol.

Gerador de energia solar

Fonte: Freepik

Entenda para que serve um gerador de energia solar

Para um gerador solar, ou gerador fotovoltaico, existem diferentes aplicações. Na maior parte das vezes, as pessoas o utilizam para produzir sua própria energia elétrica em suas casas e/ou empresas. Dessa forma, é possível diminuir ao máximo os valores da conta de luz.

Outras pessoas usam o gerador solar de uma forma emergencial. Já outras o utilizam como fonte de energia nas áreas remotas, onde não é possível ter fácil acesso à rede de eletricidade ou quando não é viável levar gasolina para um gerador comum.

Veja como funciona o gerador de energia solar conectado à rede

1- Painel solar

O painel solar realiza a produção de eletricidade em corrente contínua a partir do momento em que a luz do sol o toca.

2- O inversor fotovoltaico

O inversor solar converte a energia que vem dos painéis solares em eletricidade, já a transformando em corrente alternada. Assim, a energia está pronta para ser usada em sua casa ou empresa.

Veja como funciona o gerador de energia solar conectado à rede

Fonte: Freepik

3- A energia solar é distribuída para sua residência ou negócio

Quando a energia sai do inversor solar, ela passa para o seu quadro de luz e, então, é distribuída para sua casa ou estabelecimento. É dessa forma que há a redução do consumo de energia elétrica que você faz por meio da concessionária local.

4- Energia solar pode ser utilizada nos aparelhos elétricos domésticos

A energia produzida pelo gerador solar de energia pode ser utilizada para qualquer aparelho elétrico que esteja ligado a uma tomada. TVs, máquinas de lavar, ar-condicionado, computador, batedeiras, etc.

5- Se você não consumir, ganha créditos de energia

Seu gerador de energia solar pode produzir eletricidade de maneira excessiva para o local onde está instalado. Assim, essa energia remanescente vai para a rede elétrica e se transforma em “créditos de energia”, que serão usados de forma automática à noite ou em dias muito nublados e chuvosos.

Resumindo: você produz energia limpa através da luz do sol e, então, diminui de forma significativa os altos preços da sua conta de luz.

Energia Solar: solução que não agride o meio ambiente

Fonte: Freepik

Veja os riscos do gerador de energia solar caseiro

Somente profissionais da área (engenheiros ou eletricistas) sabem como instalar sistemas solares fotovoltaicos de maneira certa. Mesmo sendo uma instalação aparentemente simples, contratar uma empresa que realize o serviço é essencial. Apesar de pouco complexa, a instalação desses sistemas pode oferecer riscos altíssimos.

Veja um exemplo: ao tentar fazer sozinho a implantação de um sistema fotovoltaico, você pode cair do telhado ou até mesmo ser eletrocutado. Isso porque, não sendo um profissional da área devidamente treinado, você não tem a experiência e nem os equipamentos fundamentais para realizar a instalação.

Veja os riscos do gerador de energia solar caseiro

Fonte: Freepik

Se você deseja implantar um sistema de energia solar em sua casa ou empresa, conte com profissionais qualificados. Assim, você não coloca sua vida em risco e nem as das pessoas que estarão próximas.

A Cogera, empresa que oferece soluções de energia solar em Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS), possui profissionais capacitados para implantar o sistema ideal para cada local, de acordo com a necessidade do cliente. Entre em contato e faça um orçamento.

Como funciona a célula fotovoltaica

Como funciona a célula fotovoltaica

A célula fotovoltaica, também conhecida como célula solar, é um dispositivo elétrico que faz a conversão da luz do sol para energia elétrica. Esse processo é chamado de efeito fotovoltaico. Ao utilizar um sistema de células fotovoltaicas para gerar eletricidade para sua residência, por exemplo, a economia é muito significativa.

Geralmente, para montar um painel fotovoltaico, são utilizadas 36, 60 ou 72 células fotovoltaicas interligadas em série. Essa energia produzida pelos painéis fotovoltaicos é chamada de energia solar fotovoltaica.

Esses painéis captam a luz do sol que incide sobre eles e geram a eletricidade. Isso faz com que você tenha uma grande economia em relação à luz elétrica comum, fornecida pelas concessionárias.

Devido ao avanço constante das tecnologias e pela expansão do mercado, o investimento inicial para utilizar painéis solares tem caído. Isso possibilita que mais pessoas possam fazer o uso da energia solar para residências.

Como funciona a célula fotovoltaica

A célula fotovoltaica na história

A primeira vez em que o efeito fotovoltaico foi demonstrado foi em 1839. Essa demonstração foi feita pelo físico francês Edmond Becquerel. Quando tinha apenas 19 anos, ele construiu, no laboratório do pai, a primeira célula fotovoltaica do mundo.

Já em 1883, Charles Fritts construiu a primeira célula fotovoltaica em estado sólido. Ele fez o revestimento do semicondutor selênio com uma camada fina de ouro para, assim, formar as junções. A célula fotovoltaica construída por Charles possuía somente 1% de eficiência.

Chegando em 1905, Albert Einstein propôs uma nova teoria quântica da luz. Em uma de suas teses, ele explicou o efeito fotoelétrico. Essa nova teoria o rendeu o Prêmio Nobel de Física em 1921. Em 25 de abril de 1954 foi lançada, pelo Laboratório Bell, a primeira célula fotovoltaica comercial.

O conjunto de células fotovoltaicas formam o sistema fotovoltaico

Entenda melhor como funciona a célula fotovoltaica

A célula fotovoltaica é a unidade básica que fica encarregada de fazer a conversão da energia solar em eletricidade. Como já citado, nesse processo há um fenômeno físico chamado efeito fotovoltaico, que gera a corrente elétrica. Esse efeito acontece através de semicondutores. No caso dos sistemas fotovoltaicos, o material que é mais comumente utilizado é o silício.

Essencialmente, há alguns materiais que realizam a produção de eletricidade quando são expostos à luz. Isso ocorre no momento em que a luz toca alguns dos elétrons soltos dos seus átomos hospedeiros. Ao incluirmos material condutor nos lados positivo e negativo do material que formará o circuito, é permitido “canalizar” a energia elétrica que foi gerada.

A indústria espacial foi a primeira a utilizar as células solares seriamente. Esse setor possuía a assistência financeira necessária para investir. Dessa forma, acabaram encontrando na tecnologia uma maneira vantajosa de fazer a alimentação dos satélites.

Implantação de painel fotovoltaico feita pela Cogera

Implantação de painel fotovoltaico feita pela Cogera

Uma célula fotovoltaica natural irá contar com:

  • uma cobertura de vidro;
  • uma camada antirrefletora;
  • um contato frontal, para que os elétrons entrem em um circuito;
  • um condutor posterior, para possibilitar que eles completem o circuito;
  • e as camadas de semicondutores, que é onde os elétrons iniciam e terminam sua jornada.

Quando juntamos muitas células fotovoltaicas, formamos um painel solar. Ao mesmo tempo, ao juntarmos diversos painéis, o resultado é um sistema fotovoltaico.

Influência da célula fotovoltaica no meio ambiente

Na produção de uma célula fotovoltaica são utilizados diferentes gases e produtos químicos. Atualmente, há um grande controle nessa produção. Por isso, as células são fabricadas em um ambiente controlado e os resíduos são devidamente tratados.

Assim, a influência das células solares no ambiente é quase nenhuma. Não há impacto ambiental negativo. Pelo contrário! Quanto mais investimos em energia solar, menos agredimos ao meio ambiente. Isso porque o sol é uma fonte renovável de energia, ou seja, não se esgota.

Influência da célula fotovoltaica no meio ambiente

A Cogera oferece soluções em energia solar em Cuiabá (MT) e em Campo Grande (MS). Os profissionais da empresa são totalmente especializados na área. Além disso, realizam implantações de sistemas fotovoltaicos de acordo com a necessidade de cada cliente. Entre em contato e faça um orçamento.

Fonte: Portal Solar

Energia solar em Campo Grande, Mato Grosso do Sul

A região do Brasil que possui a maior incidência solar é a Centro-Oeste. Por esse motivo, a produção de energia solar em Campo Grande, capital do estado de Mato Grosso do Sul, é totalmente viável e oferece diversos benefícios, tanto para os consumidores quanto para o meio ambiente.

Com o aumento constante do preço da eletricidade no nosso dia a dia, a busca pela utilização de fontes renováveis de energia se tornou constante. Por conta disso, o mercado da energia solar vem apresentando, nos últimos anos, um grande crescimento.

Os avanços tecnológicos permitem que a principal barreira para investir nesse tipo de energia, que é o alto custo inicial, venha diminuindo. Isso possibilita que o valor da implantação se torne mais acessível, podendo ser aderido por mais pessoas e empresas.

Energia solar em Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Fonte: Freepik

Conheça mais sobre Campo Grande, capital do estado de Mato Grosso do Sul

De acordo com estimativas de 2017 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população média de Campo Grande é de 874.210 habitantes. Reduto histórico de divisionistas entre o sul e o norte, a cidade foi fundada por mineiros que vieram aproveitar os campos de pastagens nativas e as águas límpidas da região dos cerrados.

Todo o planejamento da capital do Mato Grosso do Sul foi feito em uma grande área verde. O projeto era composto por ruas e avenidas largas e vários jardins espalhados entre elas. Campo Grande é uma das cidades mais arborizadas do país e cerca de 96,3% das residências possuem a sombra de um arvoredo.

Na geografia, o município de Campo Grande está localizado próximo à fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia. O relevo do estado, de um modo geral, é caracterizado pelo planalto e planície. Suas altitudes médias estão entre 200 e 600m. (Fonte: Wikipedia)

Veja mais sobre a energia solar em Campo Grande

Fonte: Cogera Energia

Clima em Campo Grande (MS)

Segundo a tabela climática publicada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o clima predominante na capital sul-mato-grossense é classificado como tropical com estação seca. A amplitude térmica de Campo Grande é um tanto elevada pela influência da continentalidade, já que o município se encontra muito longe do oceano.

A cidade tem temperaturas muito variáveis ao longo do ano com duas estações muito bem definidas. A quente e úmida, no verão, e a menos chuvosa e mais amena, no inverno. (Fonte: Wikipedia)

Mesmo com toda a variação de temperatura existente, investir em energia solar em Campo Grande é uma ótima opção. Isso porque a incidência de raios solares na região Centro-Oeste é bastante alta durante todo o ano.

Energia solar em Campo Grande: saiba mais

Fonte: Freepik

Veja por que investir em energia solar em Campo Grande e em todo o estado de Mato Grosso do Sul

A quantidade de sistemas de energia solar em Campo Grande é uma das maiores do país. A cidade possui um alto potencial energético para utilização de painéis solares. Por conta disso, gera-se também um ótimo custo-benefício com a implantação desses sistemas.

Devido ao constante aumento nas tarifas de energia elétrica, a obtenção de energia por meio do sol torna-se um bom investimento a ser considerado na capital do Mato Grosso do Sul. Um sistema de energia solar, composto por painéis fotovoltaicos, se paga em poucos anos. Para isso, deve ser levado em conta toda a economia que ele proporciona diretamente nas contas de luz. Além disso, a implantação de painéis solares fotovoltaicos valoriza qualquer imóvel e gera uma energia limpa e renovável. Isso porque é um modelo de energia proveniente de uma fonte ilimitada.

Mato Grosso do Sul possui uma alta média anual de insolação diária. Por esse motivo, a utilização desse modelo de energia é cada vez mais frequente no estado, tanto nos grandes centros quanto nas áreas rurais. (Fonte: Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL)

Veja por que investir em energia solar em Campo Grande

Fonte: Cogera Energia

Projetos implantados de energia solar em Mato Grosso do Sul

Estacionamento também é miniusina de energia solar em Campo Grande

A Chácara Bonança possui um modelo diferente de estacionamento. Os telhados que proporcionam sombra para os carros são, na verdade, placas fotovoltaicas utilizadas para produção de energia solar. O local é considerado como o maior estacionamento desse modelo no estado, tendo uma potência de 97, 20 kWp.

Douglas Veratti, dono do espaço, foi quem teve a ideia para implantação. Ele necessitava de um lugar grande e distante do Centro para instalar os painéis. Com isso, Douglas tinha o intuito de diminuir os valores da conta de energia de outro empreendimento próprio, o Hotel Concorde.

O custo total do sistema foi de R$ 970 mil. O financiamento foi feito pelo Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO). Pelas contas feitas por Douglas, ele conseguirá quitar a dívida em seis anos e meio. Assim, o empresário passará a ter somente economia, uma das principais vantagens da energia solar. (Fonte: Campo Grande News)

Energia solar em Campo Grande é solução sustentável no MS

Fonte: Freepik

Sistema fotovoltaico é inaugurado em escola estadual de Campo Grande

Em abril (2018), o governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), inaugurou o sistema fotovoltaico na Escola Estadual Brasilina Ferraz. Ela fica localizada no Jardim Leblon, em Campo Grande. De acordo com o governo, essa é a primeira escola de Mato Grosso do Sul 100% autossuficiente em energia. Dessa forma, ela torna-se um grande exemplo do potencial da energia solar em Campo Grande.

A implantação dos painéis solares fotovoltaicos na instituição foi um projeto piloto, em andamento desde março. A iniciativa previa uma economia de quase 90% das contas de luz. O objetivo do governo do estado é levar o projeto para outras escolas estaduais. (Fonte: Campo Grande News)

Exemplo de painéis fotovoltaicos implantados pela Cogera

Exemplo de painéis fotovoltaicos implantados pela Cogera

Agricultores familiares são atraídos pela economia com energia solar

Em Mato Grosso do Sul, a energia solar tem atraído a atenção de pequenos produtores rurais. Isso porque, dependendo do consumo de energia do local, a conta de luz pode ser reduzida em mais da metade do valor. Uma fazenda em Ivinhema, a 282 km de Campo Grande, já está utilizando o sistema de placas fotovoltaicas. O local pertence à Maria Salete Dloemer de Oliveira, 67 anos.

O financiamento para implantação das placas foi feito pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). O custo total foi de cerca de R$ 43 mil. Já a elaboração do projeto foi feita pela Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer). Dona Maria Salete possui uma pequena produção leiteira, algumas cabeças de gado e uma plantação de vegetais para consumo próprio. Sua renda é composta pela produção de pães e biscoitos, vendidos em feiras locais.

Na fazenda, a eletricidade é consumida principalmente nas ordenhadeiras, batedeira, máquina de sovar massa e no forno. Sua conta de luz ultrapassava os R$ 200. Entretanto, após a implantação do sistema de energia solar, o valor pago à concessionária foi apenas a taxa mínima mensal. (Fonte: Campo Grande News)

Implantação de sistema de energia solar pela Cogera

Implantação de sistema de energia solar pela Cogera

Assim como a alta capacidade para geração de energia solar em Cuiabá, Mato Grosso, Campo Grande também é uma capital que possui ótimo potencial para gerar esse tipo de energia. Isso representa uma grande solução sustentável para região Centro-Oeste do Brasil.

A Cogera é referência em soluções em energia solar em Campo Grande e Cuiabá e possui profissionais qualificados para implantação de sistemas fotovoltaicos.

Geração solar fotovoltaica de energia: veja mais do seu potencial

O Brasil possui um grande potencial para geração solar fotovoltaica de energia. Só para se ter uma noção, no lugar menos ensolarado do nosso país é possível gerar mais eletricidade solar do que no lugar mais ensolarado da Alemanha, que é hoje a grande campeã na produção de energia solar.

Por isso, a geração solar fotovoltaica apresenta uma grande contribuição para diminuir os picos de demanda dos sistemas de transmissão do Sistema Interligado Nacional – SIN. Futuramente, quando a penetração da geração solar fotovoltaica for aumentada no país, a geração de eletricidade próxima ao ponto de consumo poderá ser reconhecida pelo sistema elétrico como um dos principais atributos dessa tecnologia.

Potencial de geração solar fotovoltaica no Brasil

Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Geração solar fotovoltaica centralizada

Usinas de grande porte têm sido implantadas principalmente nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e em parte do Sudeste do Brasil. Essas usinas são, geralmente, instaladas no solo sobre estruturas metálicas inclinadas fixas ou seguindo a trajetória do Sol. Essas regiões, por sua vez, apresentam os maiores rendimentos médios anuais de geração solar fotovoltaica.

Essas regiões e seus sistemas de transmissão de energia tendem a ficar saturados e irão precisar de muito mais investimentos para hospedar as capacidades instaladas crescentes. Quando isso acontecer, outras regiões do país passarão a ser competitivas, especialmente o Sul e Sudeste. E existem motivos chave para isso. Veja:

1- As distâncias para os grandes centros de consumo são menores;
2- A grande concentração de carga do Sistema Interligado Nacional (SIN) ocorre nessas regiões;
3- Elas possuem maior disponibilidade de pontos de conexão à rede, sem precisar de novas linhas de transmissão.

Geração solar fotovoltaica de energia: veja mais do seu potencial

Fonte: Freepik

O oeste dos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul possui ótimos índices de radiação média anual nos meses de verão. Em alguns locais, até acima da média em relação às regiões onde já vêm sendo instaladas as usinas fotovoltaicas de grande porte no Brasil.

Posteriormente, é possível que essas usinas também sejam instaladas nessas regiões. Dessa forma, a geração solar fotovoltaica centralizada será espalhada por todo o país.

Saiba mais sobre geração solar fotovoltaica

Fonte: Freepik

Geração solar fotovoltaica distribuída

A geração distribuída (GD) é comumente urbana e implantada em coberturas de edifícios e telhados. Ela possui um caráter bastante pulverizado por todo o território nacional desde quando começou a ser utilizada no Brasil. Sua adesão é especialmente viável quando a tarifa de eletricidade convencional é mais cara. Além disso, é proveitosa também quando o índice de irradiação anual da região é alto.

Devido a diminuição dos preços dos geradores solares fotovoltaicos nos últimos anos, sua utilização em todo o território brasileiro aumenta cada vez mais. A partir do final de 2016, essa adesão atingiu um crescimento exponencial. A produção independente de energia solar nas residências vem competindo cada vez mais com as tarifas de energia elétrica convencional.

Geração solar fotovoltaica: centralizada e distribuída

Fonte: Freepik

Potencial e perspectivas da geração fotovoltaica distribuída (GD)

Desde quando passou a ser comercializada, a energia elétrica tem sido fornecida a consumidores residenciais, comerciais, industriais e públicos. Sempre através da geração centralizada e complexos sistemas de transmissão e distribuição (T&D).

Geradores solares fotovoltaicos integrados às edificações e conectados à rede elétrica pública vêm crescendo em importância e aplicação em todo o mundo. Isso porque eles não possuem peças móveis e não precisam de manutenção mínima. Além disso, não produzem ruído ou qualquer tipo de poluição e utilizam a energia praticamente inesgotável do Sol.

Quer adotar um sistema de energia fotovoltaica em sua casa ou negócio? Entre em contato com a Cogera. A empresa é referência em soluções de energia solar em Campo Grande (MS) e energia solar em Cuiabá (MT). Seus profissionais especializados estudam a necessidade do cliente e oferecem o melhor sistema de acordo com a demanda local.

Fonte: Atlas Brasileiro de Energia Solar – 2a edição
Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Tecnologias de aproveitamento da energia solar

Muito se discute acerca da utilização de novas fontes renováveis de energia elétrica. Pelo alto potencial do Brasil em sua produção, destaca-se a energia obtida por meio do sol. Por isso, é importante conhecer as tecnologias de aproveitamento da energia solar. Assim, ela é muito bem aproveitada e utilizada da maneira correta.

Confira as principais tecnologias de aproveitamento da energia solar

Conversão direta da radiação solar em energia elétrica

Através dos efeitos da radiação (luz e calor) sobre determinados materiais, ela pode ser convertida de forma direta em energia elétrica. Os materiais são, em particular, os semicondutores. Entre esses efeitos estão o fotovoltaico e o termoelétrico.

Conheça as tecnologias de aproveitamento da energia solar

Fonte: Freepik

Termoelétrico

O efeito termoelétrico tem como característica o surgimento de uma diferença de potencial. Essa diferença é provocada pela união de dois metais quando estão a uma temperatura mais elevada do que as extremidades dos fios. Esse sistema é muito utilizado na construção de medidores de temperatura. Porém, o uso comercial do efeito termoelétrico para gerar eletricidade tem sido inviável. Isso porque os custos dos materiais são altos e o rendimento obtido é baixo.

Fotovoltaico

O efeito fotovoltaico ocorre através da excitação dos elétrons na presença da luz do sol. O silício é o material mais apropriado para a conversão da radiação solar em energia elétrica. Os materiais usados nessa conversão são habitualmente chamados de células solares ou fotovoltaicas. Essa é uma das tecnologias de aproveitamento da energia solar mais usadas atualmente.

A eficiência de conversão das células fotovoltaicas é medida pela proporção da radiação solar incidente sobre a superfície da célula que é convertida em energia elétrica. Atualmente, as células que são consideradas as melhores mostram um índice de eficiência de 25% (GREEN et al., 2000).

O grande obstáculo para geração de energia elétrica em escala comercial ainda é o custo das instalações dos sistemas. Entretanto, tem sido observado que, nos últimos anos, os valores de capital dessa tecnologia vêm sendo reduzidos.

Formas de usar as tecnologias de aproveitamento da energia solar

Fonte: Freepik

Aproveitamentos térmicos

Coletor solar

A radiação solar pode ser absorvida através de coletores solares. Esse processo é utilizado principalmente para aquecimento de água em temperaturas relativamente baixas (inferiores a 100ºC). A utilização dos coletores solares é mais forte nas residências. Entretanto, há também uma boa procura para edifícios comerciais ou públicos, hospitais, hotéis e outros locais.

Também nomeado como aquecimento solar ativo, o sistema de aproveitamento térmico da energia solar utiliza em seu processo o coletor solar discreto. Para a instalação, os coletores são colocados nos tetos dos edifícios ou das casas.

Por causa da baixa densidade da energia solar que atinge a superfície terrestre, a demanda de apenas uma casa pode exigir a instalação de vários metros quadrados de coletores. E isso apenas para suprir a demanda de água quente. Ainda assim, essa é uma das tecnologias de aproveitamento da energia solar mais utilizada para esse fim.

Concentrador solar

As tecnologias de aproveitamento da energia solar executadas em sistemas que exigem temperaturas mais altas ocorrem através de concentradores solares. O objetivo desse equipamento é captar a radiação solar de uma área parcialmente grande e retê-la em uma área de tamanho menor. Dessa forma, a área menor terá sua temperatura consideravelmente aumentada.

Tecnologias da energia solar: aproveitamentos térmicos

Fonte: Freepik

A superfície refletora dos concentradores possui um formato parabólico ou esférico. Assim, os raios solares que incidem ali são refletidos para uma outra superfície menor chamada de foco. É nessa segunda superfície que estará o material que será aquecido.

Sistemas parabólicos de concentração elevada podem atingir temperaturas bem altas. Além disso, chegam também em índices de eficiência que variam de 14% a 22% de aproveitamento de energia solar incidente. Essa que, por sua vez, pode ser usada para geração de vapor e, por consequência, energia elétrica.

No entanto, por conta da necessidade de focalizar a luz solar em uma pequena área, há um custo adicional no sistema. Esse valor é destinado ao dispositivo de orientação que será utilizado. Em grandes projetos, esse custo pode ser reduzido.

Conhecendo as principais tecnologias de aproveitamento da energia solar, você já pode aproveitar mais dessa fonte renovável. A Cogera possui soluções em energia solar em Cuiabá, Mato Grosso, e em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Entre em contato e faça seu orçamento.

Fonte: aneel.gov.br

Energia fotovoltaica pelo mundo

Energia fotovoltaica pelo mundo

A energia solar, aos poucos, está adquirindo seu espaço e se tornando um dos meios de energia renovável mais utilizados em todo canto. Isso explica o porquê da disseminação da energia fotovoltaica pelo mundo. Ela já é aproveitada em diversos países e a Cogera vai revelar algumas curiosidades sobre esse tipo de energia solar que é tão usado no planeta.

Veja mais sobre a energia fotovoltaica pelo mundo

Até 1996, a liderança do mercado de energia fotovoltaica era dos Estados Unidos. Sua capacidade instalada chegou aos 77MW, que, até aquele período, era muito mais do que em qualquer outro país.

Então, os anos se passaram e o país foi ultrapassado pelo Japão que, em menos de 10 anos, perdeu o posto para a Alemanha, que lidera o mercado até hoje. Agora, você vai conferir mais informações da energia fotovoltaica pelo mundo de acordo com outros países.

Veja mais sobre a energia fotovoltaica pelo mundo

Fonte: Envato

China

Segundo o Wikipedia, a China conta mais de 400 empresas fotovoltaicas. Até o ano de 2014, o país produzia praticamente a metade dos produtos fotovoltaicos que são gerados no mundo. A capacidade de produção dos painéis solares chineses cresceu absurdamente entre 2009 e 2011, ultrapassando até mesmo a demanda mundial.

Por conta disso, a União Europeia acusou a indústria chinesa de praticar dumping, que significaria estar vendendo os painéis com valores muito abaixo do mercado. Daí por diante, a entidade passou a incluir impostos na importação do material.

A China sempre bateu as previsões na produção de energia fotovoltaica pelo mundo. Em 2015, o país concentrou, em apenas três meses, a mesma potência fotovoltaica implantada na França e Espanha, por exemplo, em toda a história.

Por causa do avassalador crescimento da energia no país, as autoridades perceberam que era necessário fazer uma nova avaliação dos seus objetivos de potência desse tipo de energia solar. Até 2020, a China pretende possuir uma potência fotovoltaica de 100 GW.

Japão

A energia fotovoltaica no Japão cresce de forma muito rápida desde a década de 1990. O país está entre os líderes de fabricação dos módulos fotovoltaicos. A irradiação solar no Japão é ótima, o que explica o crescimento do país no mercado fotovoltaico.

No início de 2014, a potência fotovoltaica implantada no Japão bateu o recorde histórico, chegando a 10 GW (sua marca antiga era 7 GWp, implantados em 2013). No final do mesmo ano, sua potência total atingiu em torno dos 23 GW, que colaboraram com, aproximadamente, 2,5% da demanda elétrica de todo o país.

Energia fotovoltaica pelo mundo. Reprodução: Instalação de energia solar Campo Grande, MT. Fonte: Cogera Energia

Reprodução: Instalação de energia solar Campo Grande, MT. Fonte: Cogera Energia

Itália

A Itália possui um programa de incentivo à utilização de energia solar chamado Conto Energia. Por causa dele, o país está entre os primeiros produtores de eletricidade por meio da energia fotovoltaica. O crescimento da produção dessa energia no país realmente tem sido considerável nos últimos anos.

A potência fotovoltaica da Itália triplicou no ano de 2010 e quadruplicou em 2011. Por causa disso, chegaram a produzir 5,6% de toda a energia utilizada no país, segundo dados do Wikipedia.

França

A França é detentora do terceiro mercado de energia fotovoltaica mais importante da União Europeia. Ela perde apenas para Alemanha e Itália. Até 2014, possuía mais de 5 GWp instalados. O país chegou a aumentar ainda mais a cota dos seus leilões para esse tipo de energia de 400 a 800 MW. Isso porque houve um reconhecimento governamental do quanto o mercado de energia solar tem se tornado cada vez mais competitivo.

Índia

A Índia é um país com imensa população. Combinada com uma capacidade alta de irradiação solar, ela se torna um ótimo país para desenvolvimento da energia fotovoltaica pelo mundo. Lá em 2009, o país realizou o anúncio de um programa de investimento de 19 milhões de dólares para produção de energia solar até o ano de 2020.

O grande parque solar Charanka, com 214 MW, entrou em serviço em abril de 2012, juntando-se com 605 MW na região de Gujarate. Esse total representou cerca de dois terços da potência fotovoltaica presente em toda a Índia.

Energia fotovoltaica pelo mundo

Reprodução: Painéis de energia solar em Campo Grande, MS. Fonte: Cogera Energia

Brasil

Entre toda a matriz energética brasileira, menos 0,0008% da energia é produzida por sistemas solares fotovoltaicos (dados de 2015). O Brasil recebe uma irradiação acima de 3000 horas por ano. Segundo o Wikipedia, é o país com a maior taxa de irradiação solar do mundo.

Em agosto de 2011 foi inaugurada, no sertão do Ceará, a MPX Tauá. É a primeira usina solar fotovoltaica a gerar eletricidade em escala comercial no Brasil. Sua capacidade inicial de geração é de 1 megawatt pico.

A maior usina solar do país é composta por 19.424 painéis solares e fica no município de Tubarão, em Santa Catarina. Ela gera energia em até 3 MW, quantidade suficiente para abastecer cerca de 2.500 residências. Apesar de todo o potencial existente, o Brasil ainda cresce de forma lenta no que diz respeito à energia solar.

A presença da energia fotovoltaica pelo mundo é mais do que comprovada. Você está buscando por esse serviço? A Cogera possui as melhores soluções em energia solar em Campo Grande (MS) e Cuiabá (MT) e está à sua disposição. Faça um orçamento!

Conheça os tipos de energia solar

Energias renováveis têm ganhado bastante espaço por todo o mundo. Entre elas está a energia solar, uma das mais utilizadas. Existem dois tipos de energia solar que servem para diferentes propósitos: energia fotovoltaica e energia térmica. As duas possuem diferentes benefícios ecológicos. Por isso, se apresentam como uma ótima alternativa em relação a outros meios de geração de energia.

Neste artigo, a Cogera, empresa especializada em projetos de energia solar, vai revelar tudo que você precisa saber sobre essas fontes renováveis de energia.

Tipos de energia solar: saiba mais sobre elas

Fonte: Freepik

Confira os tipos de energia solar: fotovoltaica e térmica

Energia solar fotovoltaica

A tecnologia da energia solar fotovoltaica permite adquirir energia elétrica diretamente, sem a necessidade de processos térmicos, assim que as partículas de luz solar atingem as células de silício. Atualmente, esse tipo de obtenção de energia tem sido preferência de governos e empresas para utilização dessa fonte renovável advinda do sol. Entre os tipos de energia solar, a fotovoltaica é a principal.

Os painéis solares utilizados para geração de energia fotovoltaica possuem uma aparência em tons de azul ou preto. Eles são instalados em grupos denominados sistemas fotovoltaicos e podem ser utilizados em casas, comércios ou indústrias, principalmente para reduzir os valores da conta de luz.

Painéis fotovoltaicos

São painéis formados por células fotovoltaicas que convertem fótons em energia elétrica. Esse processo, descoberto no século XIX pelo físico Alexandre Edmond Becquerel, é denominado como efeito fotovoltaico. As células que provocam esse efeito podem ser feitas de arseniato de gálio ou de silício cristalino. O último é o elemento mais utilizado e também mais econômico.

Painéis fotovoltaicos implantados pela Cogera

Reprodução: Painéis fotovoltaicos para solução em energia solar em Cuiabá. Fonte: Cogera Energia.

Modelos de painéis fotovoltaicos disponíveis no mercado

Existe uma grande variedade de modelos disponíveis de painéis solares. A tecnologia mais comum envolve o uso de silício cristalino. São dois os tipos de painéis produzidos com esse material: o monocristalino e o policristalino.

  1. Painel solar monocristalino: feito a partir de um cristal de silício puro. Atualmente, é o painel de silício mais eficiente do mercado.
  2. Painel solar policristalino: formado a partir de diversos cristais de silício. Por ser formado através de cristais impuros, o desempenho desse dispositivo é inferior ao do painel monocristalino. Entretanto, por ser um processo de fabricação mais simples, esse modelo possui um valor de mercado mais acessível.

Uma alternativa aos painéis de silício são os painéis de filme fino. São construídos, principalmente, por uma fina camada de material fotovoltaico inserido sobre uma base de vidro. Esses painéis possuem um menor custo, considerando que o processo de fabricação é menos complexo. Em contrapartida, seu rendimento é inferior àquele proporcionado por painéis fotovoltaicos de silício.

Conheça os tipos de energia solar

Fonte: Freepik

Energia térmica solar

A energia térmica absorve o calor do sol transformando a radiação solar em energia. Assim, ela aquece o componente pretendido, geralmente água para banho, piscinas e processos industriais.

Sistemas de energia térmica são menos complexos do que os de energia fotovoltaica. Os painéis são mais simples e possuem como função realizar a transferência do calor da radiação solar para o fluído que percorre por todo o sistema. É importante frisar que a energia solar térmica é própria para ser usada juntamente com outros sistemas de energia. Por causa de sua dependência da radiação solar, nas regiões mais frias, sua capacidade de aquecimento diminui.

Coletores de energia solar térmica

São os responsáveis por captar a energia térmica da radiação solar. Existem três diferentes classificações para os coletores solares: de baixa, média e alta temperatura. Essa classificação dependerá da forma que eles funcionam.

Veja as vantagens entre os tipos de energia solar

Fonte: Freepik

Vantagens entre os tipos de energia solar

  • Renovável e sem custo: a energia solar é renovável porque possui como fonte única a radiação solar, que é inesgotável. Ela não resulta em custos porque, para sua produção, é utilizado um recurso natural farto.
  • Energia limpa: não emite poluentes. Não há nenhuma emissão de gás, diferente da energia fóssil.
  • Demanda pouco espaço: sua instalação é feita em edificações ou telhados, que são locais quase não usados para nenhum outro fim.
  • Pode ser usada em qualquer lugar: por não serem dependentes de linhas de transmissão, podem ser instaladas até em locais mais remotos.
  • Muito mais econômica: mesmo exigindo certo investimento para a aquisição, esse valor logo se pagará devido a economia com outras fontes de energia comuns.

A Cogera é especialista em soluções de energia solar em Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS), contando com profissionais capacitados para realizarem instalações e manutenções de projetos simples ou complexos. Sua especialidade é, exclusivamente, a energia solar fotovoltaica. Está procurando por esse serviço? Entre em contato e faça seu orçamento.

Energia solar em Cuiabá, Mato Grosso

A busca incansável por energia sustentável tem feito com que algumas capitais brasileiras se sobressaiam em um país farto em recursos naturais. Neste artigo, você entenderá por que o investimento em energia solar em Cuiabá, Mato Grosso, tem sido importante para destacar a cidade como um dos polos de energia limpa.

Por conta das secas crescentes, dos aumentos constantes na conta de luz e também de demandas para que a matriz energética do país seja diversificada, o investimento em energia solar tem batido recorde a cada ano. Estimativas do governo indicam que esse mercado possa movimentar até 100 bilhões de reais até 2030 (Fonte: Portal Solar).

Energia solar em Cuiabá, Mato Grosso

Fonte: Envato

O Brasil possui uma das melhores condições do mundo para produção de energia solar. Uma das regiões do país que possui melhor capacidade para produção de energia por meio do sol é a Centro-Oeste. A região possui incidência solar bem alta durante praticamente todo o ano. Aí que entra o potencial da energia solar em cidades como Cuiabá, Mato Grosso.

Isso faz com que investimento em energia solar em Cuiabá, Mato Grosso, seja mais do que apenas uma possibilidade de economia, é a certeza de que a demanda elétrica será sempre bem atendida independente do sistema implantado.

Saiba mais sobre Cuiabá, capital do estado de Mato Grosso

Segundo estimativas de 2016 feitas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população de Cuiabá é de 585.367 habitantes. A cidade é o principal polo industrial, comercial e de serviços do estado, além de possuir funções político-administrativas.

A capital do Mato Grosso é conhecida como “cidade verde” por causa de sua grande arborização. Com isso, já é possível perceber o quanto o município é eficiente em termo de sustentabilidade, o que fortalece ainda mais o conceito de investir em soluções de energia solar na cidade.

Segundo o Wikipedia, no que diz respeito à geografia da cidade, os relevos predominantes em Cuiabá possuem altitudes modestas, que variam entre 146 e 250 metros na área da própria cidade, ideal para implantação de painéis para captação de energia solar.

Projeto de energia solar implantado pela Cogera

Projeto de energia solar implantado pela Cogera

Clima favorável a investimentos em energia sustentável

O clima predominante em Cuiabá é o tropical. A capital é famosa por suas altas temperaturas, sendo uma das mais quentes do Brasil. Sua temperatura média é de, aproximadamente, 26ºC. Entretanto, não é incomum que atinja os 40ºC. Entre outubro e abril é quando se concentram as chuvas. No resto do ano, as massas de ar seco que se instalam sobre a região Centro-Oeste dificultam as formações chuvosas.

Com a eliminação das frentes frias, todo o calor, que vem da fumaça produzida pelas queimadas nessa época quente do ano, faz com que a umidade relativa do ar caia de forma violenta, chegando a ficar abaixo de 15% (Fonte: Wikipedia). Como se pode observar, a energia solar em Cuiabá é totalmente viável devido às condições do clima no local.

Por que investir em energia solar em Cuiabá e no estado do Mato Grosso em geral

A região Centro-Oeste do Brasil possui uma alta incidência solar, favorecendo a utilização de placas solares no estado. Seu uso é mais frequente em usinas, prédios comerciais e residências. Entretanto, o aproveitamento desse modelo de energia renovável também já tem sido bastante utilizado em áreas rurais do Mato Grosso.

Isso se deve ao fato do estado possuir uma enorme quantidade de fazendas de gado e plantações. Com o constante avanço da tecnologia, que atinge também as áreas rurais, esses espaços necessitam do uso de máquinas diversas, equipamentos de irrigação, entre outros materiais que necessitam de energia constante para funcionar.

Por que investir em energia solar em Cuiabá e no estado do Mato Grosso em geral

Fonte: Envato

Investimento internacional

A empresa chinesa CED Prometheus vai investir mais de US$ 300 milhões em Mato Grosso para produção de energia solar na região de Chapada dos Guimarães. O protocolo de intenções foi assinado em janeiro deste ano (2018) pelo governador Pedro Taques, pela prefeita do município, Thelma de Oliveira, e por representantes das empresas integradas ao projeto.

A prefeita Thelma de Oliveira, na assinatura do protocolo, falou mais sobre o projeto. “Escolheram Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso, porque a incidência solar é muito boa e, com isso, seremos agraciados com esse investimento, mostrando nosso compromisso e do Governo do Estado em investir no turismo, mas também preocupados com o desenvolvimento sustentável”, disse. (Fonte: Cuiabá 300)

Projetos implantados de energia solar em Mato Grosso

Fazenda Santa Amélia

Um grande exemplo de área rural sustentável em Mato Grosso é a Fazenda Santa Amélia, que fica em Campo Novo do Parecis, a aproximadamente 404 km de Cuiabá. Em 2017, o local recebeu um troféu em forma de reconhecimento pela instalação de uma estação de energia solar que gerava 300 Kva. O número representava o dobro de eletricidade que a fazenda necessitava. (Fonte: Mato Grosso Econômico)

Projeto de energia solar em área rural

Fonte: Mato Grosso Econômico

Posto de abastecimento com energia solar em Cuiabá

Em maio deste ano (2018), foi inaugurado em Cuiabá o primeiro posto para abastecimento de carros movidos à eletricidade. O chamado eletroposto foi implantado na sede da Federação de Indústrias de Mato Grosso (Fiemt).

O posto produz energia elétrica através de placas fotovoltaicas instaladas na própria Fiemt. Qualquer pessoa que possuir um carro elétrico pode abastecer no eletroposto sem nenhum custo. A estrutura teve o apoio de vários parceiros e o investimento total custou, aproximadamente, R$ 70 mil. (Fonte: Mato Grosso Econômico).

Projeto de energia solar da Cogera

Projeto de energia solar da Cogera

Programa de financiamento vai estimular a energia solar em Mato Grosso para pequenos negócios

Em abril deste ano (2018) foi lançado o Programa de Financiamento de Energia Solar para pequenos negócios, o PLUZ. A iniciativa é uma parceria entre o Sebrae do Mato Grosso, o Banco do Brasil e a WEG, uma das maiores fabricantes de equipamentos elétricos do mundo, localizada em Santa Catarina.

A união é uma forma estratégica de estimular a geração de energia fotovoltaica no âmbito da geração distribuída. O objetivo é disponibilizar o acesso à energia solar e seus benefícios e, assim, diminuir os custos e garantir maior segurança energética. Serão consultorias especializadas, acesso à tecnologia de ponta e ao crédito por meio do FCO – Fundo Constitucional do Centro-Oeste.

É importante destacar que o programa busca incentivar o desenvolvimento do mercado local, gerando emprego e renda. Além disso, contribui também para o aumento do número de micro e mini usinas fotovoltaicas.

Por ser um investimento de médio e grande porte, as empresas e produtores rurais precisam do apoio de linhas de crédito com condições especiais. Assim, será possível executar e viabilizar o projeto. (Fonte: Mato Grosso Econômico)

Implantação de sistema fotovoltaico pela Cogera

Implantação de sistema fotovoltaico pela Cogera

Primeira escola pública com energia solar em Cuiabá

Recentemente, em 17 de agosto de 2018, foram entregues as obras de revitalização da Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Francisval de Brito, no bairro Coophamil, em Cuiabá. A unidade passou por revisão no sistema elétrico, cobertura e tornou-se a primeira escola pública de Mato Grosso a receber placas fotovoltaicas capazes de produzir energia solar.

A implantação das placas trará um impacto positivo para a gestão escolar, diminuindo custos com o consumo de energia elétrica. A expectativa dos gestores é que essa implantação conduza também uma mudança positiva no trabalho pedagógico com as crianças. Isso porque ela abre portas para abordagens de temas relativos à preservação do meio ambiente, utilização de fontes sustentáveis e educação ambiental. (Fonte: Olhar Direto).

Implantação de sistema fotovoltaico pela Cogera

Implantação de sistema fotovoltaico pela Cogera

Independente da opção por energia sustentável, vale a consulta com empresas especializadas no setor.

Os painéis solares usados para captação da energia solar podem ser implantados tanto no telhado quanto no solo. Para fazer a instalação, o ideal é que a área seja examinada por um especialista. Ele irá analisar as condições do local e quanto ele gasta em quilowatts. Tendo feita essa inspeção, o profissional indicará quantos painéis serão necessários. (Fonte: Mato Grosso Econômico).

A Cogera, empresa que fornece soluções em energia solar em Campo Grande (MS) e em Cuiabá (MT) realiza esse trabalho. A companhia possui profissionais qualificados para atender a necessidade do cliente.

Quando pensamos em energia sustentável, logo pensamos na energia gerada pelo Sol. Entretanto, é comum termos dúvidas frequentes sobre energia solar, um assunto delicado e discutido por diversos países preocupados com o aquecimento global e a vida futura no planeta Terra.

No Brasil, atualmente, grande parte da matriz energética do país é sustentada por geradoras hidrelétricas e termelétricas. Entretanto, isso não significa que essas sejam as melhores fontes. As geradoras termelétricas, por exemplo, agridem ao meio ambiente, geram altos custos e demandam perdas energéticas.

Por causa disso, a busca por soluções sustentáveis e maneiras alternativas para gerar energia tem sido uma das preocupações dos governos. Uma delas é a geração de energia proveniente do sol.

Dúvidas frequentes sobre energia solar

Fonte: Envato

Vejas seis dúvidas frequentes sobre energia solar

1- Como é feita a instalação?

A instalação para começar a obter energia por meio do sol vai depender de qual sistema você vai escolher. Para a energia solar térmica, que é um sistema mais acessível, as placas serão aquelas que captam os raios solares. Já na instalação do sistema de energia solar fotovoltaica são utilizados mais equipamentos.

Além dessas placas, também é necessário instalar um quadro elétrico especial e um inversor eletrônico. Esses elementos são preparados para obter a energia solar e medir o seu consumo. A instalação completa demora em torno de 2 ou 3 dias.

Veja as dúvidas frequentes sobre energia solar

Fonte: Cogera Energia

2- Quanto custa?

O preço para o investimento inicial em energia solar para residências pode ser variável entre R$ 10.000 e R$ 50.000 com todos os custos incluídos, sendo esses valores para casas com sistemas entre 1,32Kwp e 10,56Kwp. Quanto maior a casa, maior o sistema e, consequentemente, maior o preço.

Calma, não entre em pânico. Em um primeiro momento, realmente parece ser um valor alto, mas é preciso considerar o nível de economia que você terá a médio e longo prazo.

A conta de luz pode ser reduzida consideravelmente, podendo até mesmo chegar ao ponto de zerar. Essa é uma das principais vantagens da energia solar.

Os módulos de energia solar duram em média de 25 a 30 anos e estima-se que o sistema se paga entre 4 e 6 anos. São mais de 20 anos de economia nítida! Portanto, é possível perceber que vale o investimento.

Dúvidas frequentes sobre energia solar: saiba mais

Fonte: Envato

3- Ainda terei energia nos dias nublados, chuvosos e à noite?

Sim, você ainda terá energia em qualquer um desses momentos. A energia solar é gerada pela radiação solar, que está presente mesmo nos dias chuvosos e nublados. A produção dessa energia limpa nada tem a ver com o nível da temperatura. Em relação à noite, a explicação é quase a mesma.

A diferença é que no período noturno realmente não há incidência solar, mas a energia gerada durante o dia é armazenada e suficiente para ser usada durante a noite. Essa é uma das principais dúvidas frequentes sobre energia solar.

4- Obtendo a energia solar, posso cancelar o contrato com a concessionária de energia local?

Definitivamente não. Ao instalar um sistema de energia proveniente do sol, o que acontece é que a concessionária passará a emitir uma conta luz específica. Nela deverá constar a energia produzida pela residência e a energia consumida.

Quando a energia solar produzida pela residência ultrapassar o consumo do mês, serão gerados créditos para serem usados em outro período e o valor da conta cai completamente.

Confira as dúvidas frequentes sobre energia solar

Fonte: Cogera Energia

5- Preciso fazer alguma modificação na minha casa ou empresa para instalar os painéis solares?

No geral, não. Na hora de fazer a instalação, a fiação elétrica da casa ou empresa pode ser aproveitada para o novo sistema de energia solar. O máximo que pode acontecer é, caso seja necessário, fazer um reforço nos telhados para que eles suportem o peso dos painéis.

6- Onde o equipamento deve ser instalado?

A instalação deve ser feita no telhado, onde tenha bastante incidência de raios solares, evitando cantos que fazem muita sombra em determinado horário do dia. Além disso, os painéis devem seguir uma inclinação entre 15° e 20°, de acordo com a região. Quanto mais perto da orientação norte, melhor.

Essas foram algumas das dúvidas frequentes sobre energia solar. Se você ainda quiser saber mais, entre em contato com a Cogera. A empresa possui as melhores soluções em energia solar em Campo Grande (MS) e Cuiabá (MT). Além disso, conta com profissionais qualificados para realizarem a implantação do sistema ideal para qualquer tipo de projeto.

Como funciona a energia solar: duas formas de se obtenção dessa energia

O Brasil deve investir em energia solar

Há mais ou menos uma década vem-se assistindo ao crescimento gradual das possibilidades de se investir em energia solar. De fato, a preocupação com o fim das fontes utilizadas pelas matrizes energéticas tradicionais traz a tona o papel crucial das energias renováveis.

Veja também “O que é energia solar

Dentre estas, temos a energia solar como uma tendência mundial na produção e consumo de energias limpas. A consolidação e o crescimento de seu uso no Brasil proporcionou uma maior viabilidade dessa tecnologia. No entanto, sua produção ainda é incipiente.

Nesse artigo, tratamos especificamente desse ponto, indicando os benefícios que podem resultar se o Brasil investir em energia solar.

Por que o Brasil deve investir em energia solar

Fonte: Cogera Energia

O investimento em energia solar no mundo

O ano de 2017 foi crucial para a energia solar. Isso porque sua expansão foi superior ao aumento de todas as outras matrizes. Esse crescimento foi provocado pela redução de preços e por medidas governamentais. Um dos países que mais favoreceram essa expansão foi a China, que agora contribui com cerca de 50% da geração de energia solar mundial.

Até 2020, os chineses pretendem adicionar 110 GW de capacidade de geração de energia solar. Naquele país está sendo construída a maior fazenda de energia solar do mundo.

A Arábia Saudita anunciou que até 2020 pretende ter capacidade de 6 gigawatts de produção de energia solar fotovoltaica. Já a Alemanha oferece subsídios a quem investe em energia solar desde o início dos anos 2000. Os alemães chegaram a gerar, em uma hora, quase duas vezes mais energia do que uma usina de Itaipu, por exemplo.

No que diz respeito ao Brasil, tem-se um dos maiores potenciais de produção de energia solar do mundo. Esse potencial chega a ser 20 vezes maior do que toda a atual produção de energia. Isso porque o território brasileiro recebe todos os anos altos índices de radiação solar. Entretanto, os investimentos previstos pelo governo nesse tipo de energia até 2023 não passam da instalação de 2 gigawatts de capacidade.

Ainda que o investimento anunciado seja modesto em relação a todo o potencial brasileiro, alguns fatos sugerem um crescimento significativo. Esse ano, por exemplo, a Absolar anunciou que o Brasil superou 1 gigawatt em capacidade instalada.

Investimento em energia solar no mundo

Fonte: Cogera Energia

A energia solar e seus benefícios para o Brasil

As secas que acometeram muitas regiões do país tornaram as despesas com energia elétrica mais onerosas para o consumidor. Isso porque os períodos de estiagem reduzem os níveis das hidrelétricas, as quais continuam a ser a principal matriz energética brasileira.

Nesse caso, para manter a normalidade do suprimento de energia, o governo recorre às termelétricas, que se utilizam de combustíveis caros, como petróleo. Todavia, isso poderia ser remediado com um investimento mais enfático em energia solar.

Como já foi dito, o potencial para geração desse tipo de energia no Brasil é um dos maiores do mundo. De fato, esse tipo de iniciativa tem resultado em recordes na Alemanha, que tem índices de radiação solar quase duas vezes menores do que o Brasil. Além disso, uma das maiores jazidas de quartzo do mundo, do qual se extrai o silício que compõe as placas solares, encontra-se em solo brasileiro.

Assim, pode-se dizer que, mesmo com o crescimento superior a 100% das implementações de sistemas fotovoltaicos no país, o rendimento ainda está muito abaixo do potencial.

Benefícios para o Brasil investir em energia solar

Fonte: Cogera Energia

A atual capacidade de geração de energia solar no brasil

Os avanços e a expansão do mercado de energia solar no Brasil se devem à adoção de sistemas fotovoltaicos por empresas particulares e às usinas. Atualmente, existem 20 000 sistemas fotovoltaicos operando em solo brasileiro. As usinas são de responsabilidade do governo federal e estão localizadas no Nordeste, devido a maior incidência de insolação.

Nesse artigo, apresentamos motivos que justificam um maior investimento em energia solar. Citamos dados no que diz respeito aos atuais gastos dos governos com a dessa energia. Falamos também de benefícios que poderiam advir ao investir em energia solar no Brasil.

Se você busca por soluções em energia solar em Cuiabá (MT) ou em Campo Grande (MS), a Cogera pode ajudar você! Entre em contato e faça um orçamento.