Como funciona a célula fotovoltaica

Como funciona a célula fotovoltaica

A célula fotovoltaica, também conhecida como célula solar, é um dispositivo elétrico que faz a conversão da luz do sol para energia elétrica. Esse processo é chamado de efeito fotovoltaico. Ao utilizar um sistema de células fotovoltaicas para gerar eletricidade para sua residência, por exemplo, a economia é muito significativa.

Geralmente, para montar um painel fotovoltaico, são utilizadas 36, 60 ou 72 células fotovoltaicas interligadas em série. Essa energia produzida pelos painéis fotovoltaicos é chamada de energia solar fotovoltaica.

Esses painéis captam a luz do sol que incide sobre eles e geram a eletricidade. Isso faz com que você tenha uma grande economia em relação à luz elétrica comum, fornecida pelas concessionárias.

Devido ao avanço constante das tecnologias e pela expansão do mercado, o investimento inicial para utilizar painéis solares tem caído. Isso possibilita que mais pessoas possam fazer o uso da energia solar para residências.

Como funciona a célula fotovoltaica

A célula fotovoltaica na história

A primeira vez em que o efeito fotovoltaico foi demonstrado foi em 1839. Essa demonstração foi feita pelo físico francês Edmond Becquerel. Quando tinha apenas 19 anos, ele construiu, no laboratório do pai, a primeira célula fotovoltaica do mundo.

Já em 1883, Charles Fritts construiu a primeira célula fotovoltaica em estado sólido. Ele fez o revestimento do semicondutor selênio com uma camada fina de ouro para, assim, formar as junções. A célula fotovoltaica construída por Charles possuía somente 1% de eficiência.

Chegando em 1905, Albert Einstein propôs uma nova teoria quântica da luz. Em uma de suas teses, ele explicou o efeito fotoelétrico. Essa nova teoria o rendeu o Prêmio Nobel de Física em 1921. Em 25 de abril de 1954 foi lançada, pelo Laboratório Bell, a primeira célula fotovoltaica comercial.

O conjunto de células fotovoltaicas formam o sistema fotovoltaico

Entenda melhor como funciona a célula fotovoltaica

A célula fotovoltaica é a unidade básica que fica encarregada de fazer a conversão da energia solar em eletricidade. Como já citado, nesse processo há um fenômeno físico chamado efeito fotovoltaico, que gera a corrente elétrica. Esse efeito acontece através de semicondutores. No caso dos sistemas fotovoltaicos, o material que é mais comumente utilizado é o silício.

Essencialmente, há alguns materiais que realizam a produção de eletricidade quando são expostos à luz. Isso ocorre no momento em que a luz toca alguns dos elétrons soltos dos seus átomos hospedeiros. Ao incluirmos material condutor nos lados positivo e negativo do material que formará o circuito, é permitido “canalizar” a energia elétrica que foi gerada.

A indústria espacial foi a primeira a utilizar as células solares seriamente. Esse setor possuía a assistência financeira necessária para investir. Dessa forma, acabaram encontrando na tecnologia uma maneira vantajosa de fazer a alimentação dos satélites.

Implantação de painel fotovoltaico feita pela Cogera

Implantação de painel fotovoltaico feita pela Cogera

Uma célula fotovoltaica natural irá contar com:

  • uma cobertura de vidro;
  • uma camada antirrefletora;
  • um contato frontal, para que os elétrons entrem em um circuito;
  • um condutor posterior, para possibilitar que eles completem o circuito;
  • e as camadas de semicondutores, que é onde os elétrons iniciam e terminam sua jornada.

Quando juntamos muitas células fotovoltaicas, formamos um painel solar. Ao mesmo tempo, ao juntarmos diversos painéis, o resultado é um sistema fotovoltaico.

Influência da célula fotovoltaica no meio ambiente

Na produção de uma célula fotovoltaica são utilizados diferentes gases e produtos químicos. Atualmente, há um grande controle nessa produção. Por isso, as células são fabricadas em um ambiente controlado e os resíduos são devidamente tratados.

Assim, a influência das células solares no ambiente é quase nenhuma. Não há impacto ambiental negativo. Pelo contrário! Quanto mais investimos em energia solar, menos agredimos ao meio ambiente. Isso porque o sol é uma fonte renovável de energia, ou seja, não se esgota.

Influência da célula fotovoltaica no meio ambiente

A Cogera oferece soluções em energia solar em Cuiabá (MT) e em Campo Grande (MS). Os profissionais da empresa são totalmente especializados na área. Além disso, realizam implantações de sistemas fotovoltaicos de acordo com a necessidade de cada cliente. Entre em contato e faça um orçamento.

Fonte: Portal Solar

Energia solar em Campo Grande, Mato Grosso do Sul

A região do Brasil que possui a maior incidência solar é a Centro-Oeste. Por esse motivo, a produção de energia solar em Campo Grande, capital do estado de Mato Grosso do Sul, é totalmente viável e oferece diversos benefícios, tanto para os consumidores quanto para o meio ambiente.

Com o aumento constante do preço da eletricidade no nosso dia a dia, a busca pela utilização de fontes renováveis de energia se tornou constante. Por conta disso, o mercado da energia solar vem apresentando, nos últimos anos, um grande crescimento.

Os avanços tecnológicos permitem que a principal barreira para investir nesse tipo de energia, que é o alto custo inicial, venha diminuindo. Isso possibilita que o valor da implantação se torne mais acessível, podendo ser aderido por mais pessoas e empresas.

Energia solar em Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Fonte: Freepik

Conheça mais sobre Campo Grande, capital do estado de Mato Grosso do Sul

De acordo com estimativas de 2017 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população média de Campo Grande é de 874.210 habitantes. Reduto histórico de divisionistas entre o sul e o norte, a cidade foi fundada por mineiros que vieram aproveitar os campos de pastagens nativas e as águas límpidas da região dos cerrados.

Todo o planejamento da capital do Mato Grosso do Sul foi feito em uma grande área verde. O projeto era composto por ruas e avenidas largas e vários jardins espalhados entre elas. Campo Grande é uma das cidades mais arborizadas do país e cerca de 96,3% das residências possuem a sombra de um arvoredo.

Na geografia, o município de Campo Grande está localizado próximo à fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia. O relevo do estado, de um modo geral, é caracterizado pelo planalto e planície. Suas altitudes médias estão entre 200 e 600m. (Fonte: Wikipedia)

Veja mais sobre a energia solar em Campo Grande

Fonte: Cogera Energia

Clima em Campo Grande (MS)

Segundo a tabela climática publicada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o clima predominante na capital sul-mato-grossense é classificado como tropical com estação seca. A amplitude térmica de Campo Grande é um tanto elevada pela influência da continentalidade, já que o município se encontra muito longe do oceano.

A cidade tem temperaturas muito variáveis ao longo do ano com duas estações muito bem definidas. A quente e úmida, no verão, e a menos chuvosa e mais amena, no inverno. (Fonte: Wikipedia)

Mesmo com toda a variação de temperatura existente, investir em energia solar em Campo Grande é uma ótima opção. Isso porque a incidência de raios solares na região Centro-Oeste é bastante alta durante todo o ano.

Energia solar em Campo Grande: saiba mais

Fonte: Freepik

Veja por que investir em energia solar em Campo Grande e em todo o estado de Mato Grosso do Sul

A quantidade de sistemas de energia solar em Campo Grande é uma das maiores do país. A cidade possui um alto potencial energético para utilização de painéis solares. Por conta disso, gera-se também um ótimo custo-benefício com a implantação desses sistemas.

Devido ao constante aumento nas tarifas de energia elétrica, a obtenção de energia por meio do sol torna-se um bom investimento a ser considerado na capital do Mato Grosso do Sul. Um sistema de energia solar, composto por painéis fotovoltaicos, se paga em poucos anos. Para isso, deve ser levado em conta toda a economia que ele proporciona diretamente nas contas de luz. Além disso, a implantação de painéis solares fotovoltaicos valoriza qualquer imóvel e gera uma energia limpa e renovável. Isso porque é um modelo de energia proveniente de uma fonte ilimitada.

Mato Grosso do Sul possui uma alta média anual de insolação diária. Por esse motivo, a utilização desse modelo de energia é cada vez mais frequente no estado, tanto nos grandes centros quanto nas áreas rurais. (Fonte: Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL)

Veja por que investir em energia solar em Campo Grande

Fonte: Cogera Energia

Projetos implantados de energia solar em Mato Grosso do Sul

Estacionamento também é miniusina de energia solar em Campo Grande

A Chácara Bonança possui um modelo diferente de estacionamento. Os telhados que proporcionam sombra para os carros são, na verdade, placas fotovoltaicas utilizadas para produção de energia solar. O local é considerado como o maior estacionamento desse modelo no estado, tendo uma potência de 97, 20 kWp.

Douglas Veratti, dono do espaço, foi quem teve a ideia para implantação. Ele necessitava de um lugar grande e distante do Centro para instalar os painéis. Com isso, Douglas tinha o intuito de diminuir os valores da conta de energia de outro empreendimento próprio, o Hotel Concorde.

O custo total do sistema foi de R$ 970 mil. O financiamento foi feito pelo Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO). Pelas contas feitas por Douglas, ele conseguirá quitar a dívida em seis anos e meio. Assim, o empresário passará a ter somente economia, uma das principais vantagens da energia solar. (Fonte: Campo Grande News)

Energia solar em Campo Grande é solução sustentável no MS

Fonte: Freepik

Sistema fotovoltaico é inaugurado em escola estadual de Campo Grande

Em abril (2018), o governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), inaugurou o sistema fotovoltaico na Escola Estadual Brasilina Ferraz. Ela fica localizada no Jardim Leblon, em Campo Grande. De acordo com o governo, essa é a primeira escola de Mato Grosso do Sul 100% autossuficiente em energia. Dessa forma, ela torna-se um grande exemplo do potencial da energia solar em Campo Grande.

A implantação dos painéis solares fotovoltaicos na instituição foi um projeto piloto, em andamento desde março. A iniciativa previa uma economia de quase 90% das contas de luz. O objetivo do governo do estado é levar o projeto para outras escolas estaduais. (Fonte: Campo Grande News)

Exemplo de painéis fotovoltaicos implantados pela Cogera

Exemplo de painéis fotovoltaicos implantados pela Cogera

Agricultores familiares são atraídos pela economia com energia solar

Em Mato Grosso do Sul, a energia solar tem atraído a atenção de pequenos produtores rurais. Isso porque, dependendo do consumo de energia do local, a conta de luz pode ser reduzida em mais da metade do valor. Uma fazenda em Ivinhema, a 282 km de Campo Grande, já está utilizando o sistema de placas fotovoltaicas. O local pertence à Maria Salete Dloemer de Oliveira, 67 anos.

O financiamento para implantação das placas foi feito pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). O custo total foi de cerca de R$ 43 mil. Já a elaboração do projeto foi feita pela Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer). Dona Maria Salete possui uma pequena produção leiteira, algumas cabeças de gado e uma plantação de vegetais para consumo próprio. Sua renda é composta pela produção de pães e biscoitos, vendidos em feiras locais.

Na fazenda, a eletricidade é consumida principalmente nas ordenhadeiras, batedeira, máquina de sovar massa e no forno. Sua conta de luz ultrapassava os R$ 200. Entretanto, após a implantação do sistema de energia solar, o valor pago à concessionária foi apenas a taxa mínima mensal. (Fonte: Campo Grande News)

Implantação de sistema de energia solar pela Cogera

Implantação de sistema de energia solar pela Cogera

Assim como a alta capacidade para geração de energia solar em Cuiabá, Mato Grosso, Campo Grande também é uma capital que possui ótimo potencial para gerar esse tipo de energia. Isso representa uma grande solução sustentável para região Centro-Oeste do Brasil.

A Cogera é referência em soluções em energia solar em Campo Grande e Cuiabá e possui profissionais qualificados para implantação de sistemas fotovoltaicos.

Conheça os tipos de energia solar

Energias renováveis têm ganhado bastante espaço por todo o mundo. Entre elas está a energia solar, uma das mais utilizadas. Existem dois tipos de energia solar que servem para diferentes propósitos: energia fotovoltaica e energia térmica. As duas possuem diferentes benefícios ecológicos. Por isso, se apresentam como uma ótima alternativa em relação a outros meios de geração de energia.

Neste artigo, a Cogera, empresa especializada em projetos de energia solar, vai revelar tudo que você precisa saber sobre essas fontes renováveis de energia.

Tipos de energia solar: saiba mais sobre elas

Fonte: Freepik

Confira os tipos de energia solar: fotovoltaica e térmica

Energia solar fotovoltaica

A tecnologia da energia solar fotovoltaica permite adquirir energia elétrica diretamente, sem a necessidade de processos térmicos, assim que as partículas de luz solar atingem as células de silício. Atualmente, esse tipo de obtenção de energia tem sido preferência de governos e empresas para utilização dessa fonte renovável advinda do sol. Entre os tipos de energia solar, a fotovoltaica é a principal.

Os painéis solares utilizados para geração de energia fotovoltaica possuem uma aparência em tons de azul ou preto. Eles são instalados em grupos denominados sistemas fotovoltaicos e podem ser utilizados em casas, comércios ou indústrias, principalmente para reduzir os valores da conta de luz.

Painéis fotovoltaicos

São painéis formados por células fotovoltaicas que convertem fótons em energia elétrica. Esse processo, descoberto no século XIX pelo físico Alexandre Edmond Becquerel, é denominado como efeito fotovoltaico. As células que provocam esse efeito podem ser feitas de arseniato de gálio ou de silício cristalino. O último é o elemento mais utilizado e também mais econômico.

Painéis fotovoltaicos implantados pela Cogera

Reprodução: Painéis fotovoltaicos para solução em energia solar em Cuiabá. Fonte: Cogera Energia.

Modelos de painéis fotovoltaicos disponíveis no mercado

Existe uma grande variedade de modelos disponíveis de painéis solares. A tecnologia mais comum envolve o uso de silício cristalino. São dois os tipos de painéis produzidos com esse material: o monocristalino e o policristalino.

  1. Painel solar monocristalino: feito a partir de um cristal de silício puro. Atualmente, é o painel de silício mais eficiente do mercado.
  2. Painel solar policristalino: formado a partir de diversos cristais de silício. Por ser formado através de cristais impuros, o desempenho desse dispositivo é inferior ao do painel monocristalino. Entretanto, por ser um processo de fabricação mais simples, esse modelo possui um valor de mercado mais acessível.

Uma alternativa aos painéis de silício são os painéis de filme fino. São construídos, principalmente, por uma fina camada de material fotovoltaico inserido sobre uma base de vidro. Esses painéis possuem um menor custo, considerando que o processo de fabricação é menos complexo. Em contrapartida, seu rendimento é inferior àquele proporcionado por painéis fotovoltaicos de silício.

Conheça os tipos de energia solar

Fonte: Freepik

Energia térmica solar

A energia térmica absorve o calor do sol transformando a radiação solar em energia. Assim, ela aquece o componente pretendido, geralmente água para banho, piscinas e processos industriais.

Sistemas de energia térmica são menos complexos do que os de energia fotovoltaica. Os painéis são mais simples e possuem como função realizar a transferência do calor da radiação solar para o fluído que percorre por todo o sistema. É importante frisar que a energia solar térmica é própria para ser usada juntamente com outros sistemas de energia. Por causa de sua dependência da radiação solar, nas regiões mais frias, sua capacidade de aquecimento diminui.

Coletores de energia solar térmica

São os responsáveis por captar a energia térmica da radiação solar. Existem três diferentes classificações para os coletores solares: de baixa, média e alta temperatura. Essa classificação dependerá da forma que eles funcionam.

Veja as vantagens entre os tipos de energia solar

Fonte: Freepik

Vantagens entre os tipos de energia solar

  • Renovável e sem custo: a energia solar é renovável porque possui como fonte única a radiação solar, que é inesgotável. Ela não resulta em custos porque, para sua produção, é utilizado um recurso natural farto.
  • Energia limpa: não emite poluentes. Não há nenhuma emissão de gás, diferente da energia fóssil.
  • Demanda pouco espaço: sua instalação é feita em edificações ou telhados, que são locais quase não usados para nenhum outro fim.
  • Pode ser usada em qualquer lugar: por não serem dependentes de linhas de transmissão, podem ser instaladas até em locais mais remotos.
  • Muito mais econômica: mesmo exigindo certo investimento para a aquisição, esse valor logo se pagará devido a economia com outras fontes de energia comuns.

A Cogera é especialista em soluções de energia solar em Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS), contando com profissionais capacitados para realizarem instalações e manutenções de projetos simples ou complexos. Sua especialidade é, exclusivamente, a energia solar fotovoltaica. Está procurando por esse serviço? Entre em contato e faça seu orçamento.

Energia solar fotovoltaica para residências: como escolher

A energia solar fotovoltaica para residências já é uma realidade, não sendo mais considerada uma ideia extravagante ou fora da perspectiva das pessoas. Isso é proporcionado pelo desenvolvimento de tecnologias cada vez mais rentáveis e duradouras, acompanhadas de uma mudança de mentalidade. De fato, de alguns anos para cá, foi-se percebendo todo o potencial da energia solar fotovoltaica para o suprimento de necessidades distintas.

No caso das residências, o processo fotovoltaico pode suprir o abastecimento de eletricidade, ajudando a reduzir custos. Nesse sentido, resolvemos preparar um conteúdo sobre o conceito de energia fotovoltaica e seu uso em casas, condomínios e apartamentos.

Energia solar fotovoltaica para residências: como escolher

Fonte: Envato

Outros tipos de energia solar

Existem, basicamente, dois tipos principais de energia solar. Eles correspondem a formas distintas de obtenção e transformação dessa energia.

O primeiro tipo de energia solar é a térmica. O processo térmico ocorre por meio da utilização da insolação para o aquecimento da água e de outros fluidos. Nesse processo, são utilizados coletores ou tubos a vácuo, os quais realizam a captação do calor solar e transferem-no para os fluidos. O aproveitamento térmico da energia solar pode ser servir, por exemplo, para o aquecimento de água para banhos em residências e condomínios.

Um outro tipo de processo térmico é utilizado para a obtenção de energia elétrica: a energia solar concentrada. Nesse sistema, o calor do sol é concentrado em um receptor. A concentração de energia se dá por meio da utilização dos chamados espelhos. O calor concentrado no receptor, por sua vez, é utilizado para aquecer fluidos e gerar vapor. Através desse processo, adquire-se, então, energia mecânica, a qual é transformada em eletricidade. Trata-se, pois, de um processo indireto de geração de energia elétrica.

Por fim, falemos um pouco sobre o tipo fotovoltaico. Trata-se do tipo mais comum e viável de aproveitamento da energia solar. Este tipo de processo consiste na transformação direta da energia provinda do sol em energia elétrica. Isso porque as placas utilizadas na captação da radiação solar são feitas de materiais semicondutores. O mais comum deles é o silício. Quando os fótons são absorvidos pelas placas fotovoltaicas, produz-se corrente contínua, a qual é convertida por um inversor em corrente alternada.

Energia solar fotovoltaica em apartamentos

Fonte: Envato

A energia solar fotovoltaica para casas

Sabe-se que foi esse tipo de tecnologia que permitiu um crescimento na demanda de energia solar nas residências. Falemos um pouco sobre sua aplicação doméstica. Nesse sentido, resolvemos explicar como se dá o funcionamento de um sistema fotovoltaico em uma casa.

Inicialmente, a luz solar incide sobre os painéis localizados no telhado ou em outros lugares com altos níveis de insolação, produzindo o chamado efeito fotovoltaico. Desse modo, é então gerada a energia elétrica. No entanto, essa energia tal como é obtida pelos painéis solares ainda não pode ser utilizada. Para isso, ela deve passar pelo inversor solar. Este aparelho tem a função de converter a corrente contínua da energia gerada para a corrente alternada de sua residência.

Há, então, a compatibilidade entre a energia transformada e a fornecida pela concessionária de energia. Essa energia gerada pelo sistema fotovoltaico é ligada à rede energética da residência. Em geral, isso é feito ao conectar-se o sistema de energia solar ao quadro de luz. A energia transformada está, então, pronta para ser utilizada.

Energia solar fotovoltaica para casas

Fonte: Envato

Adotando um projeto de sistema fotovoltaico para casas e apartamentos

O primeiro passo para elaborar e implantar um projeto adequado às necessidades de uma residência é estar atento ao consumo de energia. Isso porque é por meio desse dado que o usuário poderá escolher as dimensões de seu sistema. Isso poderá evitar gastos desnecessários. Essa informação pode ser conseguida através de uma análise de contas de luz. Com elas em mãos, é possível verificar a quantidade de kWh consumidos em cada mês e calcular uma média.

Nesse artigo, falamos sobre a energia solar fotovoltaica para residências. Indicamos os tipos de energia e solar e suas diferenças. Tratamos ainda do processo de obtenção de energia por meio de sistemas fotovoltaicos instalados em casas.

A Cogera oferece as melhores soluções em energia solar em Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS) de acordo com a necessidade do cliente. Entre em contato e faça um orçamento.

Instalação de painel solar fotovoltaico: como fazer

Optar pela instalação de um painel solar fotovoltaico, atualmente, deixou de ser uma ideia “fora da realidade”. Isso porque, aos poucos, a demanda por essa tecnologia cresce. E, à medida que há a expansão do uso, a oferta de serviços com condições e preços diversos aumenta. Além disso, com a evolução da tecnologia, a vida útil e eficiência dos equipamentos tornam-se maiores, o que tende a valorizar ainda mais o investimento.

Por isso, nesse artigo, preparamos um conteúdo sobre como se deve fazer a instalação de painéis solares. Confira!

Instalação de painel solar fotovoltaico

Soluções em Instalação de Painel Solar Fotovoltaico. Fonte: Cogera Energia

Sobre a viabilidade da instalação de um painel solar fotovoltaico

Mesmo parecendo uma excelente opção em termos de economia, a utilização desse tipo de tecnologia em residências e empresas ainda é pequena. No Brasil, essa viabilidade parece ser ainda maior, haja vista os altos índices de insolação em quase todo o território ao longo de um ano.

A título de comparação, a radiação solar que incide sobre o território brasileiro chega a superar em mais que o dobro aquela que incide sobre a Alemanha. No entanto, os alemães são líderes na produção de energia solar, sendo esta responsável por 5% de todo o fornecimento de energia do país. Mas, de fato, quanto maior os índices de insolação, mais rentável será um sistema de energia solar fotovoltaica.

A instalação adequada de um sistema como esse pode reduzir os custos com energia elétrica, chegando mesmo a zerá-los. Uma medida tomada pelo governo brasileiro veio a favorecer ainda mais a implementação desse tipo de matriz energética. Trata-se da resolução da Aneel, que autoriza a transformação da energia excedente produzida pelos sistemas fotovoltaicos em créditos na conta de luz. A viabilidade desses sistemas se deve ainda ao payback, isto é, ao período de tempo que o usuário precisa esperar até receber o retorno do investimento. Esse período pode variar, de acordo com a robustez do sistema, entre 4 e 10 anos.

A instalação de painéis solares passo a passo

O primeiro passo a ser dado deve ser uma análise das contas de luz da residência ou empresa (Confira o artigo sobre como escolher a energia solar para residências). Deve-se verificar o consumo em kWh para que se possa calcular uma média total. Esse cálculo pode ser feito tendo por base o consumo de um ano inteiro. É por meio desse valor que se poderá ter uma ideia do tamanho que o sistema a ser implementado deve ter para suprir as necessidades do ambiente.

Geralmente, os sites das empresas especializadas em instalação de sistemas fotovoltaicos contam com um simulador de custos do processo. Basta inserir o consumo em kWh e a cidade em que se encontra o estabelecimento. Informações como o número de placa necessárias e a área a ser ocupada por elas serão disponibilizadas. Em seguida, deve-se procurar por uma empresa que ofereça as melhores condições e serviços para fazer a instalação.

De fato, esse trabalho necessita de uma equipe técnica especializada. Os riscos presentes na instalação de painel solar fotovoltaico envolvem desde quedas a choques elétricos. Alguns procedimentos de segurança do trabalho, de acordo com cada tipo de serviço, devem ser observados nessa etapa.

Instalação de painel solar fotovoltaico passo a passo

Instalação de painel solar fotovoltaico feita pela Cogera Energia

O parecer de acesso

É importante atentar também para um outro passo fundamental: o parecer de acesso. Trata-se de um documento obrigatório no qual constam informações referentes às condições de acesso à energia no estabelecimento. Devem ainda estar constantes no parecer de acesso dados técnicos concernentes à conexão do sistema à rede de energia elétrica. A solicitação do parecer deve ser feita pelo usuário em uma loja da concessionária de energia.

Nesse artigo, apresentamos alguns passos a serem seguidos na instalação de um painel solar fotovoltaico. Falamos ainda da viabilidade dessa tecnologia e da importância de se analisar as necessidades de cada caso para a instalação de um sistema adequado.

Está buscando por soluções em energia solar em Campo Grande (MS) ou Cuiabá (MT)? A Cogera pode te ajudar! Entre em contato e faça um orçamento.

O que é e como funciona um painel solar fotovoltaico

Desde o início de 2017, houve um incremento bastante significativo no que diz respeito à energia solar. A tecnologia mais utilizada nessa expansão foi o painel solar fotovoltaico. De fato, os sistemas fotovoltaicos são os mais populares e utilizados no Brasil e no mundo.

Veja também: “Por que o Brasil deve investir em energia solar

Com a crescente busca pela viabilidade de soluções limpas e renováveis de energia, as opções também aumentaram. No caso da energia fotovoltaica, têm-se, hoje, diversos tipos e modelos de painéis.

Nesse artigo, apresentamos esse conceito a fim de explicar o funcionamento desse painel e aspectos referentes à sua implementação e uso.

Tudo sobre painel solar fotovoltaico – Placas Fotovoltaicas

Fonte: Cogera Energia

O que é e como funciona um painel solar fotovoltaico

Em linhas gerais, é um equipamento por meio do qual se torna possível transformar a energia solar em energia elétrica. É considerada uma forma direta dessa transformação, pois independe de processos térmicos para realizá-la. O painel é formado por células de silício. É esse componente que permite que as partículas de luz do sol transformem-se em energia elétrica ao serem absorvidas pelos painéis.

O efeito fotovoltaico é conseguido quando os fótons se chocam com os átomos de silício, causando um deslocamento dos elétrons desses átomos. Esses elétrons deverão se direcionar para locais das células de silício que não tenham outros elétrons.

Tal processo de deslocamento se perpetuará enquanto houver a incidência de fótons sobre o painel de silício, gerando a corrente elétrica. Entretanto, é importante ter em vista que a energia gerada pelos painéis ainda não está pronta para o uso. Isso acontece porque a corrente elétrica gerada nesse processo é contínua e a que utilizamos em nossas redes elétricas é a alternada.

Por isso, um sistema fotovoltaico deve contar, também, com um bom inversor solar. Esse equipamento fará a conversão da corrente produzida pelos painéis, compatibilizando-a com a utilizada pela concessionária de energia. É preciso atentar também para o fato de que painéis fotovoltaicos podem ser fabricados com outros materiais que não o silício.

O que é e como funciona um painel solar fotovoltaico

Fonte: Cogera Energia

O processo de produção de painéis e seu custo

São muitas as matérias-primas utilizadas na fabricação de painéis solares. Entre elas estão a backsheet, o vidro fotovoltaico e as células fotovoltaicas. Essas últimas talvez sejam o componente fundamental dos painéis, representando cerca de 60% do custo total da produção.

O próprio processo de montagem dos painéis foi desenvolvido com vistas à proteção e ao aumento da vida útil das células fotovoltaicas.

Já o vidro especial utilizado na fabricação dos painéis foi projetado para refletir o mínimo de luz solar. A função do vidro é garantir o máximo de absorção dos fótons pelas células fotovoltaicas, ao mesmo tempo em que as protege. Representa cerca de 10% do valor da fabricação dos painéis.

Quanto a backsheet, corresponde a 8% do custo do processo total, em valores aproximados. Trata-se de um filme de cor branca que é colocado na parte traseira dos painéis. Serve para proteger as células fotovoltaicas, funcionando ainda como um isolante elétrico.

 

Painel solar fotovoltaico

Fonte: Cogera Energia

Os custos da instalação

Antes de qualquer coisa, deve-se ter em mente que os custos de instalação são diferentes daquele aplicado na compra dos equipamentos. Assim, além do investimento em componentes do gerador de energia solar, há ainda aquele que será aplicado na montagem do sistema. Por isso, é importante solicitar orçamentos separados. Essa ação possibilita uma maior clareza no que diz respeito aos gastos.

O serviço de instalação deve ser feito por empresas ou profissionais especializados, visto que envolve o desenvolvimento de um projeto e riscos de acidentes. Já no que diz respeito ao preço médio da instalação, este poderá variar de acordo com a potência do sistema que se deseja implementar.

Desse modo, temos que a instalação de geradores com potência entre 1 e 7 kWp pode custar entre R$ 6 mil e R$ 10 mil reais. Daí a importância de se saber qual a necessidade de energia do ambiente. Essa atitude proporcionará um bom orçamento e um excelente negócio.

Nesse artigo, apresentamos o conceito e o funcionamento de um painel solar fotovoltaico. Tratamos ainda de aspectos do processo de fabricação desses painéis e alguns de seus componentes. Por fim, falamos dos custos envolvendo a instalação de geradores de energia solar.

Está buscando por soluções em energia solar em Campo Grande, MS ou Cuiabá, MT? Faça seu orçamento com a Cogera.

O que é um painel solar

O painel solar: conceito e tipos

Aos poucos, a energia solar vai se colocando como uma alternativa viável dentro das opções de energia limpa disponíveis. Isso se deve em muito ao barateamento e melhoria dos diferentes tipos de painel solar. De fato, a mudança de mentalidade em torno da implementação de energias renováveis trouxe consigo avanços tecnológicos e custos reduzidos.

No caso dos painéis solares, essas mudanças propiciaram uma variedade de modelos e marcas até então nunca vista. Os painéis são a tecnologia mais utilizada hoje quando o assunto é energia solar. Para falar um pouco mais sobre isso, desenvolvemos um conteúdo sobre esse equipamento. Aproveite!

O que é um painel solar

Fonte: Cogera Energia

O painel solar: conceito e tipos

Os painéis ou placas são dispositivos produzidos para captação e transformação da energia solar em eletricidade ou fonte de calor. A depender do tipo de energia que geram, esses equipamentos podem ser divididos em dois tipos: painéis fotovoltaicos e painéis térmicos. No artigo “Como funciona a energia solar” explicamos melhor a diferença entre cada um deles.

Painéis fotovoltaicos

Os painéis fotovoltaicos são constituídos de células fotovoltaicas que convertem fótons em energia elétrica. A tal processo, descoberto no século XIX pelo físico Alexandre Edmond Becquerel, dá-se o nome de efeito fotovoltaico. As células que causam esse efeito podem ser feitas de arseniato de gálio ou de silício cristalino, sendo este último componente o mais utilizado e mais barato.

Painéis térmicos

Os painéis térmicos captam as ondas eletromagnéticas do sol a fim de convertê-las em energia térmica. Nesses painéis podem ser encontrados tubos de cobre e, dentro destes, um líquido que absorve o calor desses mesmos tubos. Quando esse líquido entra em um ponto adequado de aquecimento, ele é transferido para o permutador de calor. O calor produzido por esses sistemas pode ser utilizado para proporcionar o aquecimento de água para banhos em casas e condomínios, por exemplo.

Existem ainda painéis solares mistos, os quais, como o próprio nome indica, são constituídos por uma conjunção de painéis fotovoltaicos e painéis térmicos.

O painel solar: conceito e tipos

Fonte: Cogera Energia

Os modelos de painéis disponíveis no mercado

Tratemos nesse tópico dos modelos da tecnologia líder de mercado em energia solar, isto é, a fotovoltaica. De fato ela representa cerca de 90% do mercado de energia solar. Há, atualmente, uma boa variedade de modelos disponíveis no que concerne a esse tipo de energia.

A tecnologia mais comum envolve o uso de silício cristalino. São dois os tipos de painéis produzidos com esse material: o monocristalino e o policristalino.

  1. O painel solar monocristalino é feito a partir de um cristal de silício puro. No momento, é o painel solar de silício mais eficiente do mercado.
  2. Já o painel solar policristalino é formado a partir de diversos cristais de silício. Sendo feito de cristais impuros, o desempenho desse dispositivo é inferior ao do painel monocristalino. No entanto, por ter um processo de fabricação menos complexo, esses painéis têm também um preço de mercado mais acessível.

Os painéis de filme fino são uma alternativa aos painéis de silício. São constituídos, basicamente, de uma fina camada de material fotovoltaico colocado sobre uma base de vidro. Esses painéis tem um preço mais acessível do que as placas de silício, visto que seu processo de fabricação é relativamente simples. Entretanto, sua eficiência é muito inferior àquela proporcionada por painéis fotovoltaicos de silício.

Modelos de painéis solares disponíveis no mercado

Fonte: Cogera Energia

Tendências no uso e painéis solares

Uma das tendências mais fortes do momento é a utilização de painéis fotovoltaicos em fachadas de prédios. Os sistemas fotovoltaicos integrados são implementados a partir de uma técnica, que prevê o uso de placas fotovoltaicas nos projetos de engenharia de prédios. Esses sistemas podem não somente oferecer a geração de energia elétrica, mas, também, proporcionar isolamento sonoro e térmico.

Outra tendência são as células fotovoltaicas orgânicas. Painéis solares feitos com essas células são 40 vezes mais leves e 50% mais transparentes do que os convencionais.

Nesse artigo, tratamos do conceito de painel solar e listamos os seus tipos. Falamos também dos painéis disponíveis no mercado atualmente, indicando suas principais características e funcionamento. Por fim, apresentamos algumas novidades e tendências desse mercado.

Para adquirir a instalação de painéis solares ou qualquer solução em energia solar em Cuiabá (MT) ou Campo Grande (MS), entre em contato com a Cogera.

Como funciona a energia solar

Como funciona a energia solar: duas formas de se obtenção dessa energia

Atualmente, parece ser um lugar comum a necessidade de substituir as fontes de energia usuais. Para isso, pesquisas foram realizadas com o intuito de saber como funciona a energia solar e outras fontes limpas de energia.

A geração de energia solar, além de não impactar no meio ambiente, pode ser obtida sempre que houver insolação. As tecnologias desenvolvidas para captação encontram-se bem avançadas e são cada vez mais adotadas.

Entre os benefícios da adoção dessa matriz energética estão a economia nos custos com energia elétrica e a independência dos sistemas. A seguir, tratamos do modo como essa energia pode ser gerada e aproveitada. Confira!

Como funciona a energia solar

Fonte: Cogera Energia

Como funciona a energia solar: duas formas de obtenção dessa energia

Existem duas formas principais de se obter a energia solar: direta e indireta.

  1. A produção de energia solar realizada de maneira direta é exercida por meio de células fotovoltaicas (feitas de silício) presentes em placas ou painéis. Esse processo é considerado direto por não necessitar da geração de energia térmica para a produção de eletricidade.
  2. Já na energia solar obtida de maneira indireta, faz-se necessária a construção de usinas de painéis ou a instalação de coletores. Essas usinas ou coletores devem estar localizadas em áreas com grande incidência de insolação. As usinas heliotérmicas realizam um processo indireto porque geram energia por meio do aquecimento de água ou outros fluidos. A eletricidade é gerada apenas após a transformação de calor em eletricidade.

Como funciona a energia solar: duas formas de obtenção

Fonte: Cogera Energia

O funcionamento da energia solar

Primeiramente, a luz do sol precisa ser captada pelas placas. Para ser mais específico, é fundamental que os fótons penetrem no interior das células fotovoltaicas. Uma dica para que essa absorção possa ser otimizada, é estudar com cuidado o melhor posicionamento do equipamento coletor de partículas de luz. A qualidade dessa captação também pode variar de acordo com as formas de obtenção da energia do sol escolhidas.

De fato, sabe-se que os sistemas fotovoltaicos não necessitam de tanta incidência de insolação quanto os sistemas heliotérmicos. No entanto, essa diferença não retira a importância de condições climáticas propícias para a criação desse tipo de energia por meio de células fotovoltaicas. Depois de captada pelos painéis, a energia solar precisa ainda ser direcionada para o inversor solar. Esse aparelho é o responsável por realizar a conversão da eletricidade gerada, compatibilizando-a com os atributos da rede elétrica convencional.

Depois de convertida, a energia gerada pode ser utilizada como fonte para qualquer equipamento ou máquina. Assim, sua utilização pode gerar uma considerável redução dos custos. Se o sistema gerar energia excedente, esta será direcionada para a rede elétrica, proporcionando os assim chamados “créditos energéticos”. Isso acontece porque essa sobra de energia é lançada na rede concessionária, o que faz com que o medidor de energia gire no sentido contrário.

Como funciona a energia solar: duas formas de se obtenção dessa energia

Fonte: Cogera Energia

O aproveitamento térmico da energia solar

Não é somente a energia elétrica que pode ser obtida de maneira eficiente pelos sistemas de energia solar. Pode-se, também, aproveitar o potencial térmico da luz solar, por meio do uso de coletores. Esses equipamentos podem ser instalados em telhados dos mais variados tipos de construção, desde casas a condomínios, passando por empresas e indústrias.

O aproveitamento térmico consiste no provimento de calor para processos simples, como, por exemplo, o aquecimento de água para banhos em residências. Em indústria, esse uso da energia solar pode ser utilizado, por exemplo, para preaquecer a água utilizada em caldeiras.

Em negócios como restaurantes ou em cozinhas industriais, o aproveitamento térmico da energia solar pode proporcionar uma substancial redução de custos na obtenção de água aquecida.

Veja também: “Energia solar fotovoltaica para residências: como escolher

Nesse artigo, falamos sobre como funciona a energia solar. Diferenciamos os modos de obtenção de energia por meio dessa matriz, descrevendo em linhas gerais o funcionamento do processo. Indicamos também alguns usos dessa energia em contextos diversos. A Cogera oferece soluções em energia solar em Campo Grande (MS) e Cuiabá (MT) com os melhores profissionais. Faça seu orçamento.